Espaço PR Newswire para Comunicadores

O Blog da PR Newswire é um espaço dedicado à produção e desenvolvimento de conhecimento. Aqui você encontra as notícias e os artigos mais interessantes sobre Comunicação. São abordados temas relacionados às Relações Públicas, Jornalismo, Marketing, Publicidade, Mídias Sociais e Digitais. Confira nossos posts e deixe suas observações nos comentários. Queremos saber sua opinião.

Seis táticas para criar e aplicar o Storytelling

Quando falamos de branding, relações públicas e marketing, diversas táticas estão a nossa disposição. O Storytelling se encontra no núcleo dessas técnicas e o advento das mídias sociais ofereceu as marcas novas maneiras de entregar essas histórias para novas audiências.

Uma das razões do sucesso em contar histórias ao vender produtos se deve porque pessoas se conectam facilmente com elas. Nosso cérebro gosta de encontrar padrões e os utiliza para definir nosso mundo, além de nos fazer usar diferentes funções, desde o processamento do idioma até a percepção sensorial para a função motora, oferecendo a sensação de experimentar algo real. Quanto mais alguém se conectar com a história, maior o impacto ela causará.

Mesmo que não haja interação com a narrativa em um nível pessoal, muitas vezes é possível se relacionar com o narrador, causando assim empatia. Uma história bem contada pode afetar ideias, opiniões e pensamentos do público. Pode abrir pessoas para novas experiências e permitir que eles vejam o mundo de maneira diferente.

Ao contar a história da sua empresa da maneira correta, pode haver um impacto significativo. Aqui estão seis táticas que você pode usar para fazer o Storytelling da sua marca enquanto foca em sua audiência como personagem principal:

Conheça o seu público

Para se relacionar com seus clientes, você deve saber o que deseja e o que esperar da sua marca. Que problema seu produto/serviço busca resolver? Os seus clientes podem relacionar-se uns com os outros através do problema ou da solução?

Se não tiver certeza do que seu público está procurando, pergunte a eles. As pessoas estão dispostas a compartilhar suas opiniões sobre o que faz um produto bom ou ruim, e você pode usar essas informações para adaptar suas histórias para que tenham maior impacto.

Começo, meio e fim

Embora seja importante saber quais tipos de histórias irão influenciar a audiência, o primeiro passo é entender como estruturar uma boa narrativa: com início, meio e fim.

Sem esses elementos, não há como construir o storytelling. Uma vez que os cérebros das pessoas assimilam uma história ao ouvi-la ou visualizá-la, é preciso garantir que a ela seja facilmente reconhecida e envolva seu público.

Trabalhe com as emoções

Utilizar emoções é uma excelente maneira de fazer com que lembrem de seu produto.

A Budweiser faz um excelente trabalho nesse sentido. Para promover o consumo responsável de bebida alcoólica eles utilizam um filhote de cachorro para mexer com o sentimento de seu público. A ideia é que quando a pessoa volte para casa, seu melhor amigo esteja a sua espera. A Budweiser sabe como causar impacto em seu público - e não é só porque eles usam animais adoráveis, mas também pelo fato de aproveitarem o desejo das pessoas de terem relacionamentos e estarem conectados. O público se visualiza como os personagens da história e assimilar suas experiências - mesmo que não bebam cerveja.

Da mesma forma, a nostalgia pode ser um poderoso influenciador. Se uma pessoa já tem uma idade avançada, elas se recordam de viver a vida onde as coisas eram diferentes. Na maioria das vezes, elas vão lembrar da época em que eram crianças e as coisas que gostavam.

Muitas marcas têm usado essa estratégia e você pode usar também.  Buscar o lado emotivo do seu público é muito eficaz. Combinar a nostalgia com as referências atuais da cultura pop por exemplo, também podem tornar seu Storytelling memorável.

Encontre uma maneira de aproveitar as necessidades da audiência. O seu produto ajuda os outros ou cria amizades?

Mostre um lado “humano”

Como seres humanos, temos a capacidade de nos relacionar uns com os outros em vários níveis, mesmo sem falar o mesmo idioma ou compartilhar a mesma cultura. Existem traços universais que todos possuímos. A Coca-Cola é um exemplo claro disso. Todos nós (seres humanos) buscamos a felicidade, e é nesse ponto que a frase "Coca Cola, abra a felicidade" faz sentido para todos povos, línguas e nações.

Conflito

Um elemento crucial para qualquer boa história é o conflito que seus personagens precisam superar. No caso da história da sua marca, isso pode mostrar ao público como seu produto ajuda o personagem a resolver um problema.

O conflito não precisa ser enorme ou ameaçar o mundo; pode ser algo tão simples quanto desenvolver autoconfiança. A Dove tem uma campanha publicitária que analisa a confiança do corpo das mulheres e, em seguida, oferece seus produtos de beleza como uma solução, alegando que eles são perfeitos para todas as formas, tamanhos, idades e cores.

Seja honesto

Seja sincero sobre o que seu produto pode fazer pelo consumidor. Se os clientes puderem se relacionar você e identificar o impacto que seu produto causa, seus esforços podem se transformar em vendas.

As mídias sociais e a era digital mudaram a forma como as empresas comercializam seus produtos. Ao fazer o Storytelling e mostrar ao se público o personagem principal, é possível vender seus produtos aos consumidores e se tornar uma marca reconhecida e associada a uma ótima história.

Texto original publicado no Blog CNW: Six Tactics for Uncovering Your Brand’s Story

Traduzido e adaptado por Edu Borelli, Estagiário Marketing PR Newswire Latin America

Tags: storytelling, dicas

Postagens no Instagram através do Desktop

Não é nenhum segredo que o Instagram tem uma das maiores taxas de engajamento nas redes sociais. Além disso, o aplicativo já alcançou mais de 700 milhões de usuários mensais ativos no mês passado. Para os profissionais de relações públicas e de marketing, isso significa que o Instagram pode ser uma plataforma muito importante para criar engajamento e se manter próximo de seus clientes.

No mês passado, foi apresentado um recurso que permite aos usuários fazerem postagens a partir de navegadores móveis. Ao usar um hack do Chrome, é possível postar diretamente do seu computador, com maior qualidade da imagem e facilidade de uso. Esta publicação explicará como publicar diretamente do seu desktop, além de recomendar diferentes práticas em relação a imagens, processamento, engajamento e hashtags.

Como postar no Instagram pelo computador

Para fazer um post no Instagram pelo computador é muito simples. No navegador Chrome, você pode usar as ferramentas que simulam o uso de um celular. A partir daí você publicaria na plataforma exatamente como faria em um smartphone. Veja como fazer isso:

  1. Abra o Instagram no Chrome
  2. Vá para Ferramentas do desenvolvedor (use o atalho Ctrl-Shift-i)
  3. Ativar "Alternar dispositivo” (use o atalho Ctrl-Shift-m)

Agora, você pode publicar no Instagram como faria normalmente com uma exceção: sem filtros. Dadas as vastas opções de edição de imagens (incluindo os filtros fora do Instagram), isso não deve ser um problema. E tem mais:

Como publicar imagens de alta resolução melhora a qualidade de suas postagens

reptile-2042906_960_720.jpg

Se você fotografar com o seu smartphone, a resolução provavelmente não será um problema. O Instagram reduz a imagem para uma largura de 1080px, porém nas ultimas versões para iPhone e Android é possível tirar fotos de resolução superior a 1080px.

Por outro lado, a edição de imagens no celular pode ser difícil. Ao cortarmos uma foto obviamente perdermos qualidade. Talvez as fotos para histórias no Snapchat não necessitem de cortes, mas muitas imagens ganham vida com a edição e a manipulação, fazendo com que o assunto e a postagem que você está compartilhando sejam mais atrativos.

Embora a resolução da imagem raramente seja um problema para uma imagem criada a partir de um dispositivo móvel, quanto maior a qualidade, maiores suas opções de edição.

Manipulando fotos e simulando filtros

Depende muito de sua experiência e recursos utilizados, entretanto o Adobe Lightroom é um dos softwares de processamento de imagen mais fortes no mercado. O Photoshop também é um dos favoritos e populares quando o assunto é edição de imagem.
Nós também publicamos recentemente um post em nosso blog detalhando algumas alternativas de baixo custo para os produtos adobe
, incluindo:

O Canva possui funcionalidades simples e fácil navegação (é possível usar filtros pré-definidos para suas imagens), mas qualquer um dos itens acima funcionará bem para dar vida a suas fotos.

Editando uma imagem para melhorar o engajamento

O que torna uma imagem publicável? Uma vez que as postagens do Instagram são em sua maioria conteúdo visual, faz sentido usar as melhores práticas de fotografia para tentar fazer uma foto mais atraente.

Aqui estão 10 diretrizes que podem te ajudar a criar uma foto incrível:

  1. Simplifique a cena
  2. Preencha o quadro
  3. Experimente com diferentes tamanhos
  4. Evite o meio (o app prejudica o uso da "Regra dos Terços", embora possa ser uma maneira útil de posicionar os objetos em sua foto)
  5. Use linhas guia
  6. Use ângulos diagonais para criar perspectivas interessantes
  7. De espaço à frente do tema
  8. Considere o fundo (e simplifique-o)
  9. Crie com cores
  10. Quebre as regras

Mais importante do que editar as fotos, é fundamental que você saiba produzir boas imagens. Por isso essas dicas são fundamentais:

  1. Use uma iluminação suave e uniforme
  2. Se possível, use apenas luz natural
  3. Use as configurações automáticas em sua câmera, a menos que você entenda os detalhes de como ajustá-las
  4. Centralize o produto
  5. Use espaço branco para “enquadrar” o produto

Veja o vídeo abaixo:

Mesmo que a intenção da sua imagem seja mostrar um tipo de experiência "por trás das cenas”, é possível usar algumas dessas sugestões para tornar essas fotos mais atraentes.

Como fazer Hashtag para as fotos?

Um dos aspectos mais importantes para encontrar as postagens do Instagram são as hashtags. Taylor Loren escreve que existem dois tipos diferentes de hashtags: marca e comunidade.

As hashtags de marca são aquelas que caracterizam uma empresa. Um exemplo disso pode ser #prnewswire. Esses tipos de hashtags são úteis para que as empresas descubram postagens que foram atribuídas a elas. Embora possam ser úteis em alguns contextos, elas são usadas com muito menos frequência do que as hashtags da comunidade.

As hashtags da comunidade são aquelas que contextualizam um post para uma comunidade de maior interesse. Um exemplo disso pode ser #PR, ou no exemplo que a Cision utiliza no Instagram, #currentlyreading.

Existem diversos aplicativos como o TagBlender, que ajudam a gerar hashtags para suas postagens, e o próprio Instagram oferece sugestões de hashtags populares. Embora sejam ferramentas fáceis, o melhor conselho é fazer pesquisas para encontrar possíveis hashtags:

  • Pesquisa de audiência: As hashtags usadas chegam ao público que se adequa ao seu conteúdo?
  • Faça pesquisa de concorrentes: Quais hashtags que sua concorrência usa para envolver o público?
  • Pesquisa de referência da indústria: Quais hashtags as referências do segmento usam para envolver o público?
  • Hashtags relacionadas: Quais hashtags você poderia usar para engajar seus públicos?

Lembre-se que, ao contrário de muitas redes sociais, múltiplas hashtags são comuns e úteis. Estudos comprovam que escrever cinco Hashtags para cada postagem é um número razoável. Elas são uma ótima ferramenta de descoberta e uma parte importante do envolvimento.

Conclusão

O Instagram é um meio de comunicação cada vez mais importante e possui integração com o Facebook e o Messenger.

O que queremos mostrar nesta publicação é como publicar a partir de um navegador web não móvel, como tirar e escolher imagens atraentes para o seu feed e como usar hashtags para promover sua marca. O Instagram é uma plataforma importante, e publicar conteúdo otimizado é fundamental para alavancar suas comunicações e marketing.

Texto original publicado no Blog Beyond PR: How to Make Awesome Instagram Posts on Desktop

Traduzido e adaptado por Edu Borelli, Estagiário Marketing PR Newswire Latin America

Tags: instagram, desktop, redes sociais

Removendo os limites entre empresas e filantropia

Empresas de todos os portes têm muito a ganhar ao associar suas operações com filantropia. Muitas companhias estão saindo de suas zonas de conforto e se afiliando a instituições de caridade conhecidas ou ajudando em causas sociais para ativar suas estratégias de marketing. Este conceito é chamado de marketing de causas. Não só é uma maneira incrível de construir uma rede de contatos, mas também é uma ótima forma de mostrar aos consumidores os seus valores e construir um forte seguimento.

Apoiar uma causa social é especialmente eficaz para clientes mais jovens. De fato, 70% dos millennials afirmam que gastariam mais dinheiro com marcas que apoiam as causas que lhes interessam. Como resultado, a responsabilidade social tornou-se uma prioridade para muitas empresas em geral.

No mundo caótico em que vivemos, os negócios atuais precisam fazer uma diferença positiva. Há muitas maneiras significativas de se envolver e melhorar o planeta além de "torná-lo um lugar melhor".

Aqui estão algumas maneiras de remover os limites entre negócios e filantropia:

  1. Encontre a causa perfeita

Encontrar a causa certa para apoiar pode ser um desafio, pois a estratégia começa com a afiliação correta. Cada instituição de caridade pode ter seu próprio conjunto de demandas e uma infinidade de formas pelas quais você pode contribuir. Como proprietário de uma empresa, você deve se conectar a algo que realmente acredite. Se for este o caso, encontre uma causa que se encaixa com o que você considera primordial.

Do ponto de vista comercial, como certas instituições de caridade ou organizações podem oferecer uma exposição que transmitirá uma mensagem significativa ao público?

Você também quer se certificar de que seus talentos empresariais possam ser usados para ajudar a promover a causa social. Por exemplo, a Coca Cola juntou-se ao World Wildlife Fund para apoiar a conservação dos ursos polares.

coke.pngImagem: Jose Roltberg via Flickr (usada sob CC license)

A Coca-Cola tem usado os ursos polares como uma mascote não oficial há anos para ajudar a atrair o interesse por essa questão. A campanha levantou reconhecimento para a causa, bem como quase US$ 2 milhões em doações de fãs via mensagens de texto.

Uma grande parte do marketing de causa é saber como atrair o público. Qualquer que seja o tema que você irá apoiar, certifique-se de fazer uma pesquisa aprofundada e saber o que exatamente os seguidores valorizam mais, bem como consomem conteúdo geralmente.

  1. Publique um blog

Além da exposição na mídia que você ganhará ao apoiar a causa escolhida, possuir um blog e postar sobre completamente sobre tudo o que você faz para ajudar a causa certamente será benéfico. Isso pode ser o suporte que a empresa oferece, a receita gerada, o reconhecimento da causa, entre outros. É uma ótima maneira de mostrar como você está investido no tema. Dê uma olhada no blog TOMS:

toms.pngImagem: Captura de tela www.toms.com

A TOMS é uma loja de calçados dedicada a uma série de causas sociais, incluindo o fornecimento de sapatos para necessitados, o acesso a água potável, melhor cuidado para os olhos, parto seguro e anti-bullying. Seu blog está cheio de histórias de sucesso de como seu trabalho árduo ajudou pessoas em todo o mundo.

Tenha uma seção do blog relacionada à causa que você está promovendo. A partir daqui, mantenha os visitantes totalmente atualizados sobre seu progresso e sobre o que gostaria de fazer no futuro. Certifique-se de ter um apelo claro para a ação em cada parte do conteúdo que você produz - seja para que eles façam doações para a causa ou para usarem seus serviços para produzir resultados semelhantes. E o mais importante: certifique-se de agradecer sinceramente a todos os seus clientes por seus esforços. Sem que os clientes apoiem sua marca, você não será eficaz para ajudar a causa.

TOMS também constitui um exemplo significativo no espaço de varejo e comércio eletrônico. Se você está apenas começando um e-commerce em paralelo a uma causa social, não cometa o erro de pensar que poderá criar o blog depois de iniciar a venda de produtos.

Não se pode desperdiçar tempo: é preciso unificar sua empresa e sua comunidade com um sistema de gerenciamento de conteúdo. As plataformas de comércio eletrônico atuais, como o Shopify, permitirão que você comece a publicar conteúdo diretamente em seu site ou aplicativo, categorizando e moderando postagens e comentários. Elas também fornecem ferramentas para aprimorar sua base de clientes, para que você aprenda o que é importante para eles.

Postagens regulares sobre o impacto positivo que seu negócio tem no mundo mostra o que realmente importa e ajudará a conquistar pessoas.

  1. Construa uma comunidade

Talvez a melhor maneira de divulgar a conscientização por uma causa social é fazer com que seus clientes, funcionários, fornecedores e colaboradores estejam envolvidos em todo o processo. Isso promove a sensação de que a participação de cada um importa, e que seu tempo e dinheiro foram bem utilizados. Seu objetivo neste empreendimento deve ser construir uma comunidade forte centrada em torno do maior bem do seu negócio.

Tenha em mente que a imagem da sua marca começa por um trabalho interno e se desenvolve para as partes externas. Certifique-se de contratar as pessoas certas que se alinham com seus objetivos sociais. Por exemplo, a Whole Foods é conhecida pelo seu longo processo de contratação. Todo o ciclo leva cerca de 60 dias. Nesse tempo, os candidatos são cuidadosamente selecionados para garantir que eles combinem com os interesses da empresa e sejam dedicados à sua missão.

Por último, e talvez o mais importante, sempre incentive os envolvidos a compartilhar suas experiências. Quer seja nas redes sociais ou através de suas próprias plataformas, o compartilhamento é o melhor caminho para uma causa e uma comunidade crescer.

Sua vez

Como qualquer outro projeto de negócios, você precisará manter uma mente aberta e ser flexível para mudar quando você está apoiando uma causa. A responsabilidade social corporativa é um campo em constante evolução, e os interesses e as prioridades estão mudando a cada momento. Isso significa apenas que você precisará pensar de forma criativa, a fim de associar o seu negócio a um problema que fala com seu público de forma profunda. Boa sorte!

Texto original publicado no Blog Cision: Removing the Boundaries Between Business and Philanthropy

Traduzido e adaptado por Andrés Teixeira, Analista de Comunicação Corporativa Latin America PR Newswire

Tags: filatropia, empresas, marketing de causa

Como comunicar efetivamente seu Rebrand

A Cision acaba de passar pelo processo de rebranding. Embora este processo possa ser contratualmente obrigatório em uma aquisição de propriedade, muitas empresas optam por revisar sua marca para se reposicionar em um mercado lotado. O próprio processo de renomeação exige muito trabalho, assim como a comunicação que deve seguir um padrão.

Veja como você pode comunicar melhor seu rebranding:

Comece com seus funcionários

Os funcionários são seus aliados mais valiosos, pois incorporam sua marca e compartilham sua história com os clientes. Se eles não entendem ou não se identificam com sua proposta, ninguém mais irá. Se o tempo permitir, tente envolvê-los no processo desde o começo. Isso pode ser tão simples como obter feedback sobre um novo design de logo ou conduzir um grupo focado em entender o que seus colaboradores pensam sobre a narrativa da sua empresa.

Para o lançamento da nova marca, era muito importante que nossos funcionários expressassem suas opiniões sobre nossa identidade global para que fosse possível servir melhor os clientes. Usando pesquisas, entrevistas e grupos focais, conversamos com funcionários em diferentes escalas do negócio e regiões. Demorou alguns meses, mas certamente valeu a pena.

Informe todos os seus stakeholders

Antes de divulgar as notícias, compartilhe o processo com todas as partes interessadas. O Public Relations Institute of Australia (PRIA) recomenda que se comunique o seguinte por escrito:

  • Linha do Tempo
  • Orçamento
  • Objetivos principais
  • Pesquisas relevantes para demonstrar o porquê estão sendo tomadas essas decisões
  • Mudanças no posicionamento competitivo
  • Implicações para departamentos específicos

Você deve comunicar seu rebrand em todos os canais de marketing possíveis, como e-mail, blog e mídias sociais, garantindo que os usuários estejam bem informados e possam encontrar seu negócio. Quanto mais formas de divulgação você tiver, menos confusa a mudança será para os clientes. Quando a WIND Mobile, uma empresa canadense de telecomunicações, tornou-se a Freedom Mobile no ano passado, eles emitiram um comunicado de imprensa que descrevia claramente a mudança de marca e reafirmava seu compromisso com clientes atuais. Isso foi em conjunto com um anúncio de jornal que explicou as mudanças, juntamente com perfis atualizados em redes sociais e um novo website.

Tenha em consideração todas as suas propriedades

Todos sabemos que o rebrand é muito mais do que apenas uma estilização de logotipo. Há uma série de mudanças envolvidas e você precisará levar em conta todos os locais onde sua marca antiga existe. Para iniciantes, você precisará fazer alterações nos seguintes ativos:

  • Website
  • Documentos e guidelines
  • Material para escritório
  • Perfis em mídia social (nomes de usuário e logo)

Para se manter organizado, considere fazer uma planilha em Excel e mantenha divisões em todas as partes que precisam ser trabalhadas, juntamente com as atualizações de status que você possa ter e quem é responsável por esse conteúdo.

Se você planeja renomear suas contas de mídia social, é recomendável fixar uma publicação no topo do seu feed, explicando que você mudou seu nome e, em seguida, direcionar os clientes para uma explicação mais longa através de links, talvez no seu blog ou no seu site.

Espere alguma resistência

Você não pode agradar a todos. A mudança leva tempo, mas para garantir a continuidade do projeto, é preciso estar preparado para defender suas decisões de marca em cada etapa. É por isso que ter seus funcionários a favor é imperativo para o sucesso do marketing de rebrand. Ao passar um tempo considerável em pesquisas preliminares e falar com empregados, clientes e outras partes interessadas principais, as marcas podem confiar em sua decisão de fazer as mudanças corretas para seus negócios.

Para as grandes empresas, considere ter defensores da marca dentro de cada escritório regional que compreenda a história da marca e os motivos pelos quais foi preciso reconstruí-la. Eles podem ajudar a responder perguntas e abordar preocupações enquanto defendem a marca para os funcionários que podem estar ligados a visões antigas.

Algumas rejeições nascem de uma contra-ação. Após o lançamento do filme Super Size Me, o McDonald's iniciou um longo processo de rebranding, que incluiu renovações de localização e opções de alimentos mais saudáveis para os clientes. A empresa também se esforçou para ser mais transparente com a campanha "Nossos alimentos, suas perguntas", que incluiu vídeos e infográficos nos bastidores, explicando seu processo de produção e permitindo aos clientes ter suas perguntas respondidas em tempo real pelos funcionários.

Conclusão

Embora o rebranding não seja um trabalho simples, com os processos de planejamento e organização adequados, pode ser uma experiência relativamente tranquila de executar.

Texto original publicado no Blog Cision: How to Effectively Communicate Your Rebrand

Traduzido e adaptado por Andrés Teixeira, Analista de Comunicação Corporativa Latin America PR Newswire

Tags: branding, rebrand, marca

7 Regras para criar um formulário de leads para o seu blog

Os blogs podem (e devem) fazer mais do que apenas atualizar os leitores sobre as últimas notícias e eventos cotidianos.

Quando feitas corretamente, suas postagens podem educar a audiência, te estabelecer como uma referência em sua área e também ser um canal de ajuda em momentos de necessidade do seu público.

Mas não queira expor todas as suas informações e expertise na web para que qualquer pessoa possa encontrar.

Às vezes, é importante coletar dados de qualidade sobre o seu público - antes de entregar conteúdo.

Para aqueles que não estão familiarizados com o discurso de marketing, este processo é conhecido como captação de leads.

Os leads ajudam você a entender melhor quantas pessoas estão interessadas em suas informações e a oferecer especificações que podem ajudá-lo a produzir melhor conteúdo para o público envolvido.

Também pode ajudá-lo a criar um relacionamento de duas mãos com os leitores.

Como coletar leads qualificados para o seu blog

Muitas estratégias efetivas de marketing de conteúdo - seja para um blog ou marca da empresa - incluem um formulário de geração de leads.

Parece fácil. Procure na web o primeiro software de automação de marketing, crie seu formulário, faça o upload para o seu blog e pronto. Certo? Não é tão simples assim.

Para se ter uma base sólida, é essencial ter todos os detalhes corretos em seu formulário. Não é preciso apressar o processo.

A primeira e mais importante questão que você deve responder é: por que alguém se preocuparia em fornecer informações pessoais?

Muitos usuários online estão cada vez mais conscientes sobre Big Data e são cautelosos ao preencher informações. Ao utilizar seus smartphones, eles também se complicam ao preencher formulários via mobile (certifique-se de que seu formulário funciona no celular).

Garantir que seu público obtenha algo de valor para seu esforço é crucial. Faça valer a pena. Isso é chamado de encontrar sua proposta de valor.

Exemplos de proposições de valor efetivas:

  • Você é um influenciador com um blog e um site de e-commerce emergente. Em troca do endereço de e-mail do seu leitor, você oferece 10% de desconto na primeira compra.
  • Você é um blogueiro com conhecimentos em um setor especifico. Para conseguir o nome, a localização e o endereço de e-mail do seu leitor, envie seu newsletter mensal.
  • Você é uma empresa com conteúdo de blog exclusivo. Para adquirir o nome do seu leitor, ocupação, número de telefone e endereço de e-mail, você envia seu próximo e-book diretamente para eles.

As possibilidades são que, se os usuários já estiverem procurando por postagens, eles estarão abertos a enviar algumas informações em troca de ofertas.

Mas não seja mesquinho. Dê a seus leitores algo que eles possam usar.

Exemplos das chamadas proposições de valor não-efetivas:

  • Você é um blogueiro que cobre uma grande variedade de tópicos. Em troca de suas informações, você não oferece mais nada do que spam de e-mails sem foco (só funcionará se você for o favorito de sua audiência)
  • Você é uma marca que oferece um estudo com informações novas e quentes. Mas, você quer que os leitores preencham 35 campos em troca de um artigo sobre... o que mesmo? (Isso não significa que ninguém quer o seu documento... pode parecer que não vale a pena o tempo que esses 35 campos tomam, especialmente se os leitores não conseguem ver exatamente o que eles estarão recebendo)

Então, agora que somos claros sobre o porquê, vejamos as melhores práticas para a construção de formulários de geração de leads:

Regra nº 1: Tenha uma proposta clara de valor e o por que de alguém lhe dar suas informações.

Regra nº 2: Coloque um título claro e instruções para preencher o formulário.

Pode parecer óbvio, mas as pessoas passarão despercebidas se não souberem do que se trata o formulário ou o que fazer com ele.

É aqui que você pode mostrar a proposição de valor que você criou a partir da etapa número 1

Regra nº 3: tenha o número certo de campos e considere o perfil progressivo.

Você pode perguntar: "Qual é o número certo de campos?" Resposta: o menor possível.

Não peça informações que não precisa. Ou talvez, adicione um a dois campos extras para obter informações secundárias e torne-os opcionais para responder.

De qualquer forma, com menos campos, as pessoas estarão mais propensas a responder perguntas. Use caixas de seleção, listas ou respostas simples para diminuir o trabalho.

Uma estratégia mais complexa porém útil é usar "perfil progressivo" em seus formulários de geração de leads. Essencialmente, você só pede algumas informações ao mesmo tempo.

Quando feito corretamente, você não fará perguntas mais profundas até possuir um relacionamento construído. Se você usa um software de automação de marketing (por exemplo: Marketo, Oracle Marketing Cloud, HubSpot, Pardot, Eloqua, Act-On, etc.), ele deve permitir que você faça isso. O Unbounce oferece alguns prós e contras úteis ao considerar esta estratégia.

Regra nº 4: Termine o formulário com um botão call-to-action (CTA) claro e personalizado

Muitos formulários terminam com um botão "Enviar", porém não é a coisa mais eficaz que você pode fazer.

Como qualquer call-to-action bem-sucedido, o botão personalizado deve ser curto, em primeira pessoa e lembrar seu público sobre o que eles estão recebendo.

Adicionando um ícone que simboliza avançar, baixar ou qualquer coisa que reforce subliminarmente o que acontece em seguida, pode aumentar exponencialmente as chances de o formulário ser completamente preenchido e enviado.

Regra nº 5: Certifique-se de incluir datas, sites ou informações importantes que eles precisam

Não deixe de lado nada importante, desde a data de um webinar ou um endereço de e-mail com um anexo PDF (talvez eles precisem de lista em branco se for um endereço de e-mail genérico).

Qualquer passo que possa ser verbalizado em uma conversa ou questionário, também deve ser expresso no formulário.

Lembre-se que geralmente você pode ter uma página depois para que acessem seu botão "enviar" personalizado (veja o número 4), fornecendo as informações necessárias. Não é preciso desordenar a visão do próprio formulário.

Regra nº 6: Leve a sério a privacidade do leitor

A verdade aqui é que você quer as informações do seu público para que você possa sempre enviar seu conteúdo.

Para obter confiança, você pode adicionar uma política de privacidade ao seu site que informa aos leitores como você está planejando usar suas informações - garantindo-lhes que não venderá ou irá compartilhar dados pessoais.

Da mesma forma, você pode ter uma caixa de seleção onde alguém reconhece que eles concordam em ser contatados novamente no futuro.

Regra nº 7: Certifique-se de que seu formulário funciona

Teste-o e configure-o corretamente do ponto de vista técnico.

É muito bom quando o Chrome preenche automaticamente um formulário para você na sua área de trabalho (certifique-se de não desativar esse recurso), porém não se esqueça dos seus usuários em mobile.

  • Use um site como o responsinator.com para ver as versões desktop e móvel e garantir que ele se destaque e esteja correto com as funções em ambas as versões do site.
  • Ao olhar para o resto do site, verifique se o formulário não está muito baixo na página, a menos que ele flua naturalmente após algum outro conteúdo.
  • Faça uma auditoria dos botões call-to-actions no seu site. Você pode querer reduzir, redirecionar ou remover outras chamadas para conduzir a outras ações e promover o melhor envolvimento.




    Texto original publicado no Blog Beyond Bylines: 7 Rules for Creating a Successful Lead Generation Form for Your Blog

    Traduzido e adaptado por Andrés Teixeira, Analista de Comunicação Corporativa Latin America PR Newswire

Tags: lead, formulario, blog

4 maneiras de construir confiança por meio de um conteúdo autêntico

Ultimamente, quando falamos de branding, escutamos a palavra "autêntico". Mas o que isso realmente significa? Como uma marca é ou se torna autêntica, especialmente na estratégia de marketing de conteúdo?

town-sign-924570_1920.jpg

O que realmente significa ser “autêntico” para sua marca

Como este é um conceito subjetivo, torna-se difícil definirmos seu significado. Porém, consideramos que ele cria valor para uma audiência sem segundas intenções. Sim, você quer mais clientes. O seu conteúdo não deve ser uma propaganda velada, mas, em vez disso, deve fornecer informações úteis ao seu público. Você não está tentando ser algo que sua marca não é. Você permanece fiel aos valores da sua empresa e transmite-os através do seu conteúdo.

Ser autêntico não significa fazer acrobacias como o Burger King fez recentemente quando invadiu o Google Home em seu anúncio. A autenticidade não é a procura de atenção ou pensar fora da caixa. É ser real. Parecer confortável.

Então, como podemos criar confiança através de um conteúdo autêntico?

  1. Conheça o seu público

Não há nada mais importante do que realmente entendendo sua base de clientes. O que é importante para eles? Que tipos de perguntas eles têm que você pode responder através do conteúdo? Como sua marca pode realmente oferecer valor?

Você notará que nenhuma dessas perguntas tem a ver com seu produto. Conhecer o seu cliente é sobre ser um bom cidadão. É sobre fazer perguntas e ouvir em vez de fazer suposições e falar.

  1. Remova a máscara

    woman face.jpg

Muitas vezes as marcas não veem valor ao deixar clientes entrarem no coração e na alma do negócio. Mas isso é parte de sua história, e sua história é o que as pessoas querem.

Se você criou a ideia do seu negócio quando você caiu por um lance de escadas, por que não compartilhar essa parte mais humana? Se todas as sextas-feiras sua equipe se veste como super-heróis, é um ótimo visual que transforma sua empresa em um grupo de humanos reais. Não se afaste de sua audiência; em vez disso, conecte-se com eles.

  1. Seja consistente

Se você acredita em escrever posts muito longos e profundos, continue fazendo isso. Ou se sua audiência acompanha suas dicas diárias do Twitter, mantenha essa rotina. As pessoas começarão a confiar em sua marca quando sabem o que esperar. Faça da consistência o fator chave em vez de experimentar várias táticas.

  1. Não tenha medo de cometer erros

As marcas são constituídas por pessoas, portanto podem cometer erros. E não há nenhum problema nisso. Se há um erro de digitação em seu blog ou informações erradas que você compartilhou, não tente encobrir o erro com linguagem corporativa. Seja espontâneo e siga em frente.

Ser autêntico é simplesmente ser fiel à natureza da sua marca. Deve sentir-se orgânico e fácil.

Images: PixabayPexels

Texto original publicado no Blog Beyond PR: 4 Ways to Build Trust Through Authentic Content

Traduzido e adaptado por Andrés Teixeira, Analista de Comunicação Corporativa Latin America PR Newswire

Tags: conteúdo autêntico, confiança, marcas

Qual a diferença entre Marketing de Conteúdo e Jornalismo Corporativo?

Equipes de Relações Públicas e Marketing estão unindo seus pontos fortes para atender as novas demandas do público, dando lugar ao Marketing de Conteúdo e ao Brand Journalism (em tradução livre “Jornalismo Corporativo”) como o conjunto de habilidades desejadas. Ambos são envolvidos com a criação de conteúdo interessante e útil para o público. Mas isso significa que eles são a mesma coisa? Será que estes termos podem ser usados alternadamente?

Marketing de Conteúdo

O Content Marketing Institute define o Marketing de Conteúdo como:

A prática de criação de conteúdo relevante e atraente de uma forma consistente para um alvo comprador, concentrando-se em todas as fases do processo de compra, desde o conhecimento da marca por meio de “evangelismo” de marca.

O processo de compra é guiado pelo comportamento do consumidor, que avança pelas quatro etapas seguintes:

  • Descoberta: Um cliente define o que precisa para resolver um problema.
  • Exploração: Definir necessidades, exigências e contatar potenciais fornecedores.
  • Compra: Fornecedores apresentam propostas e a solução é adquirida.
  • Engajamento: A venda está concluída e o serviço é prestado.

Mesmo que o Marketing de Conteúdo tenha a intenção de gerar leads, o material não deve ser lido como uma propaganda ou discurso de vendas. Se trata sobre compartilhar informações com valor real para o seu público-alvo e educar seus clientes em potencial. Não é sobre os seus produtos, mas os assuntos que apoiam o que você vende.

Seu objetivo é aumentar a demanda por um produto ou serviço através de informações úteis.

Jornalismo Corporativo

Muitas empresas estão contratando jornalistas freelancers ou construindo departamentos de notícias internos para criar conteúdo editorial que envolva o público. Essas histórias pretendem conectar e criar uma impressão favorável da marca. Alguns argumentam que o Jornalismo Corporativo é tendencioso, pois ele está sendo comunicado por uma empresa que tem a intenção de vender produtos ou serviços, mas Maria Perez, Diretora de Serviços para a Comunidade Online do ProfNet e para PR Newswire for Journalists, discorda:

“Os consumidores querem mais do que apenas os produtos e serviços das empresas. Eles querem saber se as empresas se preocupam com eles, sobre seus objetivos, seus sonhos e suas vidas. Quando bem feito, o Jornalismo Corporativo permite às empresas se conectarem com os consumidores mais pessoalmente, diferente de uma propaganda tradicional”. Perez continua:

“Veja sites como o da P&G Everyday da Procter & Gamble, Backing America’s Backbone da U.S. Cellular e o HSBC News and Insight do HSBC Holdings. Eles estão atingindo milhões de consumidores e compartilhando dicas sobre educação infantil, finanças pessoais e gestão de negócios. Os artigos são escritos por jornalistas profissionais, e a qualidade da informação compete com a de sites de mídia tradicionais”

O objetivo do Jornalismo Corporativo é encontrar e contar histórias que transmitem a personalidade da marca.

Resumindo

Marketing de Conteúdo e Jornalismo Corporativo não são práticas idênticas, nem são mutuamente exclusivas. Compreender as suas semelhanças e diferenças podem ajudar a definir os objetivos de negócio específicos e mensuráveis.

Tags: marketing de conteúdo, jornalismo corporativo, marcas

Marketing Digital – Como usar a Promoção de Conteúdo Pago

Usar a promoção de conteúdo pago ou não? Na verdade, essa é uma questão que assola a maioria dos profissionais de Marketing de Conteúdo e Relações Públicas. Você usou ferramentas valiosas para criar este conteúdo, então como garantir que ele realmente será visto pelo público? Este é o ponto onde a promoção de conteúdo pago pode entrar em jogo.

Em uma tentativa de aumentar sua base de dados em relação ao público e consumidores atuais, você precisa atingir novos usuários, embora alguns clientes fiéis e interativos possam compartilhar seu conteúdo. Isso aumentará sua audiência potencial, mas não garantirá um crescimento no número de leitores ou de clicks. Para garantir isso, você precisará promover o seu conteúdo e provavelmente precisará de investimento.

Se você está pensando em se envolver com a promoção de conteúdo pago, aqui estão três pontos que valem a pena considerar:

Dê uma nova abordagem para táticas clássicas usando um grande mix de mídia

Combinar táticas de RP tradicionais com métodos e abordagens mais modernas se provaram altamente eficazes para profissionais de Marketing de Conteúdo. Por exemplo, o press release por excelência é uma ferramenta confiável e tradicional para conquistar mídia espontânea. Se distribuído usando uma abordagem moderna, como um serviço newswire e a promoção paga na mídia social, o comunicado atingirá um público muito maior, resultando no aumento da visibilidade. Veja como a PR Newswire pode ajudá-lo a atingir seus objetivos de comunicação com os nossos serviços via wire.

Use a promoção de conteúdo pago para construir audiências

O principal objetivo para os profissionais de Marketing de Conteúdo é construir constantemente novos públicos. Promoção de conteúdo pago é uma excelente maneira de distribuir o seu conteúdo além de seu banco de dados para mercados inexplorados. Colabore com outros times, com algum orçamento, como sua equipe PR, para aumentar o seu público. Construindo audiências também é uma métrica primária dos esforços para promoção de conteúdo paga. 42% dos profissionais de marketing mais eficientes medem “o aumento de assinantes”.

Alinhe processos estratégicos para que a promoção do conteúdo paga funcione

É preciso que haja uma estratégia definitiva para promoção de conteúdo pago. A CNW e a CMI descobriram que 95% dos profissionais de Marketing de Conteúdo mais eficientes têm uma estratégia. Para fazer a sua campanha de Content Marketing ser mais eficaz, reduza a quantidade de conteúdo e se concentrar na criação de conteúdo de alta qualidade para ser promovido.

Equipe PR Newswire

Tags: marketing, conteúdo, promoção

4 Lições para sua marca dentro do Instagram

A maioria das empresas, não importa seu tamanho, precisam estabelecer presença em uma ou duas plataformas de mídia social – principalmente dentro das 3 grandes redes principais: Facebook, Twitter e LinkedIn.

No entanto, as marcas precisam se diversificar ainda mais. É por isso que devemos aproveitar o Instagram. Não é algo fácil, especialmente em nosso caso por se tratar de uma empresa B2B. No entanto, aqui estão quatro lições que para saber ao utilizarmos esta plataforma.

  1. Identifique o propósito específico de sua marca para o Instagram

Conteúdo – seja ele um post de blog, whitepaper, webinar ou press release – é um componente fundamental na estratégia de marketing da PR Newswire. E para promovê-lo, usamos uma abordagem sincronizada em todos nossos canais e através de mídia espontânea e paga.

Posteriormente, o objetivo para Instagram era chegar a uma nova audiência com o nosso conteúdo. Porque a audiência do Instagram tende a se interessar por autenticidade e fotos vibrantes do mundo. Tentamos fotografar imagens relevantes dos arredores de nossos escritórios com o tema de um de nossos posts.

Por exemplo, a foto abaixo é do Relógio Colgate em Jersey City, New Jersey. Fluiu bem com a mensagem por trás do post no blog desse dia, que dizia que “O tempo é tudo quando sua marca decide entrar no mercado #global”. Não só é uma referência lúdica para o tema em questão, mas também é uma imagem visualmente impressionante e é algo com que as pessoas vão se engajar.

  1. Pense no Instagram como um canal de marketing de conteúdo visual

Cada postagem é uma representação direta de sua marca, por isso pense em cada foto do Instagram como criação de conteúdo. Não é tão fácil como simplesmente tirar uma foto rápida no caminho para o trabalho e publicá-la (sem colocar um significado).

Invista tempo e esforço em seu conteúdo para o Instagram e você terá sucesso.

Não é preciso limitar-se a fotos. Pessoas nas redes sociais amam citações. Esta é uma mensagem de uma de nossas seleções do blog e fizemos o post com a imagem do dia.

  1. Aproveite a oportunidade para ser diferente

Cada plataforma de mídia social exige uma voz particular. Se você está gastando a maior parte de seu tempo em um dos 3 grandes, o tom que você possui é provavelmente profissional.

No Instagram mostre seu lado criativo, não apenas em suas fotos, mas no texto também.

Use uma hashtag divertida como #ThrowbackThursday ou #TBT e poste uma foto do primeiro logotipo que você criou. Ou tente algo peculiar como a foto abaixo de uma peça escrita pelo gerente sênior criativo. Esta ilustração foi usada para mostrar a importância da devida atribuição ao usar citações e tornou-se a nossa principal imagem do Instagram para a data.

  1. Seja criativo com seu call-to-action

Um dos maiores desafios para as marcas no Instagram é o fato de que Instagram só oferece um link “clickável” para não-anunciantes. O que torna isso ainda mais difícil é que esse link está localizado em sua biografia.

Você precisa conseguir a atenção do seu público com uma imagem brilhante e também tem que levá-lo para o seu perfil.

Direcione o seu público até seu link incorporado explicando o que acontecerá depois. Em seguida, informe que o link para mais informações está disponível em sua bio. Alguns posts de marcas, como a nossa, também usaram emojis em um esforço para direcionar ainda mais os olhos dos usuários.

Também é importante usar um link curto e personalizado para ajudar a monitorar quantas pessoas clicaram no seu link. No perfil da PR Newswire, o link direciona para o Blog Beyond PR.

Enquanto o número de seguidores, likes e outras métricas são úteis para monitoramento, é o número de cliques de seu call-to-action que irá mostrar o quão eficaz é a sua estratégia.

Quando usada corretamente, a mídia social pode desempenhar um grande papel fundamental para a promoção de conteúdo da sua marca – até mesmo para press releases.

Equipe PR Newswire

Tags: instagram, marca, conteúdo

Top 10 - Dicas para Formatar seu Press Release

Você escreveu um press release que simplesmente não funcionou tão bem quanto você esperava? Você tinha um ótimo conteúdo, links excelentes mas recebeu poucos clicks para o seu site? Então, provavelmente não foi o seu conteúdo que resultou em um fraco desempenho - mas a sua formatação.

É trabalhoso conseguir implantar as melhores práticas para a formatação de comunicados de imprensa. Essa é uma tarefa difícil, porque há muitas diferenças entre as publicações da indústria – produtos, anúncios corporativos, e campanhas de marketing de conteúdo todas requerem diferentes acabamentos. No entanto, existem algumas dicas gerais que ajudarão o seu press release a conquistar mais visibilidade on-line:

  1. Escreva o título como um “tweet”. Escreva em 140 caracteres, com as informações mais importantes nos primeiros 65 caracteres. Você pode incluir mais detalhes no subtítulo, que também será totalmente indexado pelo Google e outros motores de busca.

  2. Evite o uso de jargões e deixe a descrição da empresa para o boilerplate: Inicie com o assunto principal do release. É importante para conectar os leitores rapidamente, e jargões não fazem um link convincente.

  3. Inclua um call-to-action no primeiro ou no segundo parágrafo: Estudos apontam que a melhor posição para o engajamento de um call-to-action está abaixo do primeiro parágrafo em uma linha independente. Além disso, inclui-lo perto do topo do seu conteúdo vai proporciona-lo melhor visibilidade.

  4. O call-to-action precisa ser um elo natural, não descontextualizado: Isso ajudará a manter o link intacto quando seu lançamento é distribuído e publicado online.

  5. Inclua links (com moderação): É importante limitar a não mais de três (3) links em um comunicado de imprensa de um único cliente. Se for um comunicado conjunto com outra empresa, quatro (4) links são suficientes. Mais do que isso, prejudicará a sua visibilidade.

  6. Use cada link exclusivo apenas uma vez: Você pode conectar-se a várias páginas, mas o uso repetido de um link para o mesmo site prejudicará o seu SEO. O texto âncora não vai enganar os buscadores, você ainda será sinalizado.

  7. Use listas com marcadores (bullet points): isso ajuda os leitores a encontrarem e visualizarem o seu conteúdo. Estas listas também ajudam a chamar a atenção para as informações mais importantes.

  8. Não abuse das palavras-chave: Tenha um cuidado especial quando o nome da empresa é integrado em um nome de produto. Isso vai ser pego pelos buscadores, e seu conteúdo pode ser marcado como de baixa qualidade.

  9. Use negrito com moderação: para destacar frases principais e chamar a atenção ao longo do conteúdo.

  10. Incorpore citações: Uma boa citação pode aumentar a vida útil da sua mensagem. Você pode destacar o nome e o título de qualquer executivo para chamar a atenção para a presença de comentários.

Escrever um press release pode parecer complicado e existem peculiaridades em cada segmento. Esta lista é um bom começo para a criação de um bom conteúdo otimizado. Há mais coisas que você pode fazer para aumentar a sua visibilidade online, dependendo do seu setor de atividade, bem como a natureza da sua divulgação.

Equipe PR Newswire

Tags: press release, dicas, formatação de texto